Arco Maior - Ação Social - Santa Casa da Misericórdia do Porto

http://www.scmp.pt/assets/misc/img/Empreendedorismo/arco_36.jpg
share print
Arco Maior

Responsabilidade UCP e SCMP:

Sob o lema "A cidade tem resposta", construiu-se uma resposta efetiva no combate ao abandono escolar, prevenindo e atuando sobre a exclusão social.

A Faculdade de Educação e Psicologia da UCP e a SCMP, com o apoio do Ministério da Educação e do IEFP, comprometeram-se a desenvolver a dinâmica socio educativa, o ARCO MAIOR na cidade do Porto, com o intuito de oferecer uma resposta que garanta a integração escolar, profissional e social, como derradeira oportunidade para os jovens que abandonaram a escola e que se encontram fora de qualquer resposta educativa.

Missão

Proporcionar uma alternativa educativa capaz de motivar os jovens que abandonaram a escola sem completar o 6º e o 9º ano, a constituírem novos projetos para as suas vidas.

Objetivos

Facilitar o acesso à escola, à formação profissional e ao emprego, retirando estes jovens da marginalidade.

Meios: Participação da Comunidade

O Ministério da Educação, o IEFP, a FEP/UCP, a SCMP e outras entidades envolvidas neste projeto, constituíram parcerias estratégicas para o cumprimento desta missão e destes objetivos.

Gestão do projeto

Cabe a uma Comissão Executiva gerir o projeto, sendo constituída pelos representantes: da SCMP, Dr. António Tavares, da FEP/UCP, Professor Joaquim Azevedo (que coordena o projeto) e representante dos Mecenas da cidade, Dr. Rui Pedroto, da Fundação Manuel António da Mota.

Principais Parceiros Locais- Competências

SCMP (Santa Casa da Misericórdia do Porto):

  • Apoio Administrativo, a segurança e o serviço de limpeza

  • Cedência de instalações

  • Representação na Comissão Executiva através do seu Provedor, Dr. António Tavares

FEPP/UCP (Faculdade de Educação e Psicologia/Universidade Católico Portuguesa)

  • Coordenação/Monitorização científico-pedagógica, acompanhamento e avaliação

  • Representação na Comissão Executiva, através do Professor Joaquim Azevedo

Entidades envolvidas

MEC (Ministério de Educação e Ciência):

  • A Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares faz o apoio Logístico, com a Cooperação do Agrupamentos de Escolas Rodrigues de Freitas e de Alexandre Herculano, através de:

  1. Fornecimento de equipamentos gerais e específicos

  2. Colocação/ destacamento dos professores e certificação escolar

IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional):

  • O Instituto de Emprego disponibiliza os Formadores específicos e o Psicólogo

Outras instituições da cidade:

  • Fundação PT

  • Fundação Manuel António Mota (Mota Engil)

  • Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro

  • Escola Profissional Profitecla- Porto

  • Escola Profissional Centro de Estudos da Pedra- Porto

  • Associação dos Pupilos do Exercito- Lisboa

  • J. Pinto Leitão

  • Joaquim Carneiro- Lordelo

  • Fundação de Desenvolvimento da Zona Histórica do Porto

  • Fundação Manuel Leão

  • Museu Nacional Soares dos Reis

  • Fundação José Rodrigues

MECENATO:

A generalidade das despesas de funcionamento é assegurada pela família Soares dos Santos.

  1. Matérias-primas utilizadas na formação

  2. Transporte diário dos Formandos

  3. Produtos alimentares (Pingo Doce)

  4. Muitos portuenses fazem particularmente variadas doações.

A inovação

A UCP e a SCMP, através do Arco Maior, pretendem assegurar a inserção escolar e/ou socioprofissional destes jovens, influenciando o seu regresso aos espaços formais de educação e de formação e em simultâneo, garantir a certificação da educação básica do 6º e do 9º ano.

Trata-se, por isso, de uma resposta socioeducativa transitória de aprendizagem escolar e de desenvolvimento pessoal, de reinserção educativa e socioprofissional.

O Plano de aprendizagem é construído em função do diagnóstico feito a cada formando, adequando-se às suas competências sociais, saberes adquiridos e necessidades.

Este plano formativo é um processo dinâmico, adequando-se à evolução do formando.

Cada professor/formador constitui uma referência que acompanha de forma sistemática a motivação e o envolvimento de cada jovem.

Este projeto é também, uma transição da exclusão para o exercício duma nova cidadania, autónoma e responsável.

As áreas nucleares da formação são: Língua Materna, Matemática, Cidadania e Empregabilidade e Práticas Oficinais e estas desdobram-se em Restauro, Restauração/Cozinha, Artes e Ofícios e TIC-Multimédia.

Complementarmente realizam-se visitas e estágios em instituições hospedeiras da cidade, que propiciam a autonomia e a inserção social.

Abrangência e localização

O Projeto Arco Maior responde a jovens excluídos do sistema educativo vigente, sem concluir a escolaridade obrigatória, em dois níveis etários, entre os 15 e 18 anos, num primeiro grupo e entre os 18 e os 24 anos, num segundo grupo etário.

Em 2013-14 foram integrados 20 jovens e em 2014-2015, 28 jovens. O encaminhamento foi feito pelas CPCJ e por Instituições sediadas nos bairros da cidade. Todos se encontravam em situação efetiva de abandono escolar.

Residem preferentemente na zona ocidental do Porto, onde se localiza também a sede do projeto.

O projeto Arco Maior está sediado em instalações cedidas pela SCMP, na Rua da Prelada, 131, Porto (Carvalhido).

Em 2015/ 2016, este projeto está em alargamento à parte Oriental da Cidade, conforme compromisso inicial, pretendendo abranger toda a cidade do Porto e intervir mais precocemente, em termos etários, nesta problemática.

Esta ação fica sediada na Rua Conde de Ferreira nº 80 (entre Bonfim/Campanhã), em edifício também cedido pela SCMP.

Resultados

Em 2013/2014 foram diplomados 14 formandos: quatro concluíram o 6º ano; dez concluíram o 9º ano.

top bot