Colégio Barão de Nova Sintra - Juventude - Santa Casa da Misericórdia do Porto

Juventude

https://www.scmp.pt/assets/misc/img/ensino/HEL_4006.jpg
share print
Colégio Barão de Nova Sintra

O Colégio Barão de Nova Sintra (CBNS) foi constituído em 3 de Dezembro de 1863, tendo iniciado a sua atividade em 19 de Outubro de 1866, sendo inaugurado pelo rei D. Luís. O seu fundador foi José Joaquim Leite Guimarães, natural de Guimarães, mais conhecido pelo BARÃO DE NOVA SINTRA. Nasceu a 21 de Julho de 1808, e faleceu no Porto a 3 de Junho de 1870.

No dia 1 de junho de 1871, passado um ano do seu falecimento, a Santa Casa da Misericórdia do Porto, tomou posse do Estabelecimento Humanitário, designado atualmente por Colégio do Barão de Nova Sintra.

Lar de Infância e Juventude (LIJ), o CBNS destina-se, ao acolhimento de 42 crianças ou jovens do género masculino, com idades compreendidas entre os 6 e os 21 anos, que se encontrem em situação de perigo. O colégio tem como objetivo principal desenvolver o espírito de iniciativa, autonomia, capacidade crítica e criativa, minorando assim os estigmas trazidos da primeira infância que condicionaram a estruturação da personalidade e aprendizagem, bem como pretende criar-lhes a noção de respeito por si próprios, pelos outros e bens da comunidade. O objetivo global do projeto educativo do estabelecimento é proporcionar às crianças e jovens uma estrutura de vida tão aproximada quanto possível à de uma família normal, visando o seu desenvolvimento integral e harmonioso. Assim, a função primordial é assumir o papel de substituição e/ou complemento da família de origem por um determinado período de tempo.

Para fazer face a todo este trabalho desenvolvido em prol do bem-estar das crianças e jovens, o CBNS dispõe de uma Equipa Técnica multidisciplinar nas áreas do Serviço Social, Psicologia e Educação Social, uma Equipa Educativa e uma Equipa Auxiliar, conseguindo assim proporcionar uma resposta plena adequada às necessidades.

O domínio escolar e/ou profissional assenta na base de formação de cada uma desta crianças/jovens, para tal, desenvolvemos métodos de estudo eficazes e ajustados às necessidades individuais, de forma a promovermos um acompanhamento personalizado, capaz de responder aos seus interesses e capacidades.

Pretende-se também desenvolver, com os jovens, ações de exploração e orientação vocacionais, com o objetivo de co-construir projetos de vida ajustados aos interesses de cada um.

A ação do CBNS com as famílias das crianças e dos jovens acolhidos é um ponto fulcral do trabalho desenvolvido, e surge no âmbito do objetivo da reunificação familiar ou autonomização com possibilidade de manutenção de relações familiares que possam funcionar como retaguarda dos menores. Apostamos no desenvolvimento de estratégias eficazes de comunicação e relacionamento intra-familiar, já que é deste contexto que as crianças e os jovens retiram os seus principais modelos de conduta.

A SCMP criou um apartamento de pré-autonomização com o propósito de preparar os jovens para o ingresso na vida autónoma de forma segura e integrante. O princípio base é apoiar a transição para a vida adulta de jovens que possuem competências pessoais específicas, através da dinamização de serviços que articulem e potenciem recursos existentes em espaços territoriais.

O objetivo é capacitar os jovens que viveram anos em contexto residencial para um processo de autonomização progressivo e sustentado, proporcionando-lhes experiências e instrumentos que permitam o desenvolvimento das competências necessárias para a inserção na vida ativa, combatendo o risco de exclusão social futura.

Paralelamente a este trabalho de interior do LIJ, as crianças e jovens encontram-se integrados nas estruturas da comunidade, nomeadamente escolas, centros de saúde, escuteiros, clubes desportivos, catequese, entre outros, tal como outra qualquer criança ou jovem da sua idade.

top bot